terça-feira, 19 de abril de 2016

25 anos de desenhos I Cécile Bertrand



25 anos de desenhos
Cécile Bertrand

Textos de Alberto Mesquita, Mira Falardeau, Luc de Brabandere

Edição bilingue: português-francês

ISBN: 978-989-8834-09-6

Edição: Março de 2016

Preço: 14,15 euros | PVP: 15 euros
Formato: 16 × 22 cm (brochado, com badanas)
Número de páginas: 120 (a cores)

[ Com a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira ]


Livro publicado por ocasião da exposição «Cécile Bertrand – 25 anos de desenhos», da artista vencedora da 17.ª edição da «Cartoon Xira’2015» e apresentada entre 12 de Março e 8 de Maio de 2016 no Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira.

«Cécile nunca desenhou para ofender, nem para rir de outrem. Fê-lo para, simplesmente, rir e fazer rir. Limpa o ambiente de tensão, ao passo que a ironia o torna tenso. Não é de estranhar: a ironia desenvolve-se face a um adversário com um desígnio bem determinado, ao passo que, como observou Vladimir Jankélévitch, o humor não tem um projeto fixo, nem sistema de referência… O humor é humilde, a ironia é humilhante. Enquanto a ironia tem muita ambição, um cartoon de Cécile é despretensioso. É difícil descodificar o humor sem o perder. «Analisar o humor é como dissecar uma rã», dizia E.B. White, «não interessa muito a ninguém e a rã morre». «O humor», acrescenta ainda Jankélévitch, «não tem qualquer realeza a estabelecer, qualquer trono a recuperar, qualquer título de propriedade a reclamar, não esconde qualquer punhal escondido nas dobras da sua túnica». Sempre foi esta a posição de Cécile Bertrand. Tal como outros proferem as palavras certas, ela tem o objetivo certo. Por tudo isso, Obrigado Cécile.» [Luc de Brabandere]

Cécile Bertrand é uma das raras mulheres, senão a única, que alguma vez ocupou o lugar de caricaturista editorial num diário francófono.
Nascida em Liège, Bélgica, inicia-se na ilustração para crianças depois dos estudos em arte que fez na escola Saint-Luc. É também pintora e escultora. Desde 1981 que faz as ilustrações de numerosos livros para a juventude. Em 1989 começou uma carreira de caricaturista e adquiriu rapidamente notoriedade graças ao seu estilo característico, redondo, cheio e, ao mesmo tempo, marcado pela sensibilidade.
O seu traço simples e divertido veicula um discurso poderoso e eficaz, usando com abundância metáforas visuais, com textos curtos e incisivos.

Sem comentários:

Publicar um comentário