sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Cézanne, por Gasquet | Gasquet, por Cézanne

                                        Paul Cézanne, Joachim Gasquet, 1896

«Embora Cézanne fosse amigo de infância do seu pai, Joachim só o conheceu em Abril de 1896 (o ano do retrato onde hoje o vemos, exposto na Galeria de Arte Moderna de Praga e com um aspecto difícil de associar aos vinte e três anos de idade que nessa altura ele tinha). Entre os dois houve um convívio intenso, os quatro anos de encontros e cartas que veremos reflectidos em O Que Ele Me Disse…, aos quais outros se sucederam de relativo afastamento até ao desacordo político que em 1904 definitivamente os separou.
[...]
Este Cézanne de Gasquet sai de um procedimento mais elaborado: três longos diálogos são uma combinação de afirmações escritas pelo próprio pintor, de outras colhidas em testemunhos de contemporâneos seus (com origens desvendadas em notas finais, a partir de um trabalho de investigação de P.-M. Doran), e ainda do que Gasquet lhe ouviu ao ar livre de Aix quando o pintor instalava na paisagem provençal o cavalete, e no seu estúdio ou mesmo em Paris, nas vezes que visitaram juntos o Museu do Louvre.»

Aníbal Fernandes, in Apresentação de Joachim Gasquet, O Que Ele Me Disse...

Sem comentários:

Publicar um comentário