quinta-feira, 1 de agosto de 2013

«A edição portuguesa do romance publicado em 1925 recupera o título da ópera de Gershwin, cujo libreto é do próprio Heyward.»


«Quando na literatura americana se nomeia um romance de "sulista", não se atira apenas o autor e a sua obra para uma determinada geografia (e para uma época) mas pressupõe também algumas outras características mais reconhecíveis, sendo a quase sempre tumultuosa relação entre as comunidades brancas e negras, e por vezes os seus cruéis conflitos, uma das mais evidentes. [...] como que a preparar o caminho, surgiu um nome, DuBose Heyward (1885-1940), que ficou conhechecido apenas por um romance (apesar de ter escrito outros), Porgy, publicado em 1925 [....] uma década depois da sua publicação, Gershwin comporia a música para uma ópera (com libreto do próprio Heyward) a que chamaria Porgy and Bess. A recente edição portuguesa do livro aproveitou o título dessa ópera, Porgy e Bess (Sistema Solar, trad. Aníbal Fernandes).
[...]
DuBose Heyward escreveu um romance que, não sendo uma obra-prima da literatura sulista, faz o retrato de uma época e de um grupo social com uma linguagem muito própria, que o tradutor Aníbal Fernandes conseguiu verter para português de maneira quase prodigiosa.»

José Riço Direitinho, «Estranhas Sombras», LER, Julho-Agosto, p.78.

Sem comentários:

Publicar um comentário