sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Central Tejo – Uma biografia (1909-1990). Volume 1 I Luís Cruz, Pires Barbosa, Fernando Faria


Central Tejo – Uma biografia
(1909-1990). Volume I
Luís Cruz, Pires Barbosa, Fernando Faria

Prefácio de Jorge Custódio

ISBN: 978-989-8834-49-2

Edição: Novembro de 2016
Preço: 37,74 euros | PVP: 40 euros
Formato: 24 x 29 cm [encadernado]
Número de páginas: 384

[ Em colaboração com a Fundação EDP ]


Este livro é o primeiro de três volumes de uma biografia. Essa biografia conta a vida da Central Tejo. Longa, variada e dinâmica, é uma vida feita de várias vidas.
A primeira (1909-1990), a que corresponde este Volume I, é a vida da Fábrica da Electricidade. É uma vida de estórias e de histórias – história tecnológica, história económica, história social. Se hoje não imaginamos a nossa vida sem electricidade, pensemos o que a chegada da electricidade representou para a vida que a não tinha antes. Foi como se o mundo por ela iluminado se tivesse encantado, transfigurado, magnificado, tornando-se outro. A «Ode Triunfal», escrita, em 1914, por Fernando Pessoa através de Álvaro de Campos, é um grandioso testemunho desse relâmpago de realidade que a electricidade foi, dando à voz febril do poeta um altivo ímpeto futurista.
[…]
Ao contar a vida da Central Tejo, esta obra mostra-nos essa vida a ir ao encontro da vida das pessoas. É, por isso, que, neste lugar e nestes edifícios, os visitantes procuram uma descoberta que se parece com um reconhecimento.
A ligação da Central Tejo à comunidade, que, por mandato da empresa que a criou, a Fundação EDP, todos os dias renova e revigora, é, para nós, uma inspiração, uma responsabilidade, um desafio.
Esta biografia é uma viagem no tempo deste espaço e no espaço deste tempo. Obra de investigação histórica, colige, usa e interpreta fontes documentais e testemunhais. Para o fazer, convoca várias especialidades e disciplinas. É, por isso, que Central Tejo – Uma biografia inscreve a imagem de uma Fundação que obtém de uma grande empresa o que restitui à sociedade, entregando à criatividade e à imaginação a memória que recebe e assim acrescenta. [Fundação EDP]

Sem comentários:

Publicar um comentário