quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Suspended spaces 4 — A partilha dos esquecimentos


Suspended spaces 4 — A partilha dos esquecimentos
Vários autores*

ISBN 978-989-8902-45-0 | EAN 9789898902450

Edição: Novembro de 2018
Preço: 39,62 euros | PVP: 42 euros
Formato: 21 x 27 cm (brochado)
Número de páginas: 496

Com o colectivo Suspended spaces

Edição bilingue: português-francês


Este quarto livro do colectivo Suspended spaces, intitulado A partilha dos esquecimentos, refere-se ao colonialismo português, da África à América, de Moçambique ao Brasil, que foi o tema de um colóquio organizado em Lisboa, em 2016.


* Ana Tostões – Analu Cunha – André Parente – Ângela Ferreira – Armin Linke – Basma Alsharif – Bertille Bak – Bertrand Lamarche – Christophe Viart – Daniel Lê – Delfim Sardo – Dilton Lopes de Almeida Júnior – Éric Valette – Filip Berte –François Bellenger – Françoise Parfait – Jacinto Lageira – Jackie-Ruth Meyer – Jan Kopp – Juliette Bouveresse – Kader Attia – Lamia Joreige – Leonor Antunes – Lia Lapithi – Lúcia Ramos Monteiro – Luciana Fina – Luciano Vinhosa – Luiz Guilherme Vergara – Maïder Fortuné – Marcel Dinahet – Marie-José Mondzain – Marwa Arsanios – Mehmet Yashin – Mira Sanders – Paola Berenstein Jacques, – Raquel Schefer – Romain Bertrand – Sophie Ristelhueber – Stefanie Baumann – Stéphane Thidet – Susana de Sousa Dias – Tania Ruiz – Valérie Jouve – Vasco Araújo – Yannis Kyriakides – Yasmine Eid-Sabbagh – Ziad Antar

Suspended spaces é o projecto de um colectivo que trabalha desde 2007 sobre territórios em «suspenso», isto devido a conflitos políticos, económicos, históricos.
Continuando a sua pesquisa sobre as nossas modernidades, o colectivo Suspended spaces interessou-se durante estes últimos quatro anos por certas questões a decorrer, impensadas, até ocultadas, e que poderiam explicar em parte o estado actual dos debates artísticos e intelectuais, quer estejam do lado dos estudos pós-coloniais, do spatial turn, da antropologia visual ou da história conectada. Este livro concentra-se mais particularmente nas conexões entre histórias e territórios: França, Brasil, Portugal e as ex-colónias portuguesas em África. Uma partilha de esquecimentos.
Cinco exposições, realizadas no Brasil (MAC Niterói); em França, Saint-Ouen (Mains d’OEuvres) e Albi (Centro de Arte Le LAIT); em Portugal, Lisboa (Palácio Pombal) e Coimbra (Círculo de Artes Plásticas), são apresentadas em sinergia com as questões teóricas de investigadores.

Sem comentários:

Publicar um comentário